Limpeza da Boca A Base Espiritual do Vegetarianismo

Palestra proferida no antigo Santuário Nanraikufuo, em São Paulo, por Sebastião Vaz, em maio de 2000

"O vegetarianismo não é um fim em si mesmo e sim um grande passo para evolução do espírito.” (Mahatma Ghandi)

Apesar de nós ainda não termos esquecido de que possuímos muitas coisas em comum com os animais, não nos damos conta suficiente de que há várias outras que nos distinguem deles. Nós, seres humanos, somos os únicos que temos a inteligência articulada e, por isso mesmo, é que devemos elevar a base moral do vegetarianismo.
Desde o registro inicial da história da humanidade, vemos que a dieta vegetariana era considerada a dieta natural da humanidade. O relato mais antigo de um regime vegetariano, encontra-se nas antigas escrituras dos hebreus:
"Eis que vos tenho dado toda erva que dá semente sobre a terra, e todas as árvores frutíferas que contêm em si mesmas a sua semente, para que vos sirvam de alimento." (Genesi, 1:29 )
"Somente não comereis carne com sua alma, com seu sangue". (Genesi, 9:4)

 

 

LEI DA AÇÃO E REAÇÃO

 

 

aaaaaaleidocarma

Obviamente, os animais não cedem suas vidas voluntariamente para que as pessoas, movidas pelos chamados “prazeres da carne”, os possam saborear. Movidos pelo instinto e pelo sofrimento antes e na hora da matança, os animais imploram por vingança, pois aquele ato interrompeu sua evolução e, necessariamente, teremos que pagar, fato este claramente evidenciado na chamada lei de ação e reação, a tão implacável lei que está atenta a todas as nossas ações aqui nesta etapa de nossa evolução.


Vários mestres e espíritos mais evoluídos têm nos alertado para o fato de que nunca conseguiremos a verdadeira evolução, não só no plano espiritual, como também aqui na própria sociedade em que vivemos, se não garantirmos a compaixão, o amor ao próximo, e se continuarmos a praticar e colaborar como cúmplices dessas matanças indiscriminadas dos nossos irmãos animais. Baixas energias percorrem os matadouros, além do aspecto de horror que fica concentrado nesses lugares. Além disso, quando da ingestão da carne, sua parte inferior desagrega o nosso plano etéreo, baixando nossas vibrações, tornando--nos repulsivos a toda boa energia que pudesse nos ajudar.


O vegetarianismo, como relata o início deste texto, não é o único passo de nossa evolução, pois a caminhada é difícil e bastante árdua, mas, sem dúvida, é um dos passos mais fácies e fundamentais para se cumprir. Basta começar.

O Cuidado com a Boca

 

 

boca


A educação da boca é um processo pelo qual devemos ter o máximo cuidado, se não veja, tudo aquilo que ingerimos para o sustento de nosso corpo entra por via oral (boca), e tudo aquilo que pensamos e raciocinamos é efetivado pela fala (boca); é como nos comunicamos com as pessoas, ou seja, através da "vibração" que emitimos é que podemos estar praticando bondade ou maldade. Portanto, o cuidado com a boca é um dos processos dentro da evolução humana, dos mais importantes. Neste trabalho vamos destacar apenas sobre o que entra pela boca, ou seja qual é base de nossa alimentação.
O que é vegetarianismo?
Vegetarianismo é ó regime alimentar segundo o qual nada que implique em sacrifício de vidas animais deva servir à alimentação. Assim, os vegetarianos não comem carne e seus derivados, mas podem incluir em seu regime leite, laticínios e ovos. O regime vegetariano não é, pois, exclusivamente vegetal, e seu nome não se origina de alimentação vegetal mas, sim, do latim "vegetus", que significa FORTE, VIGOROSO.

 

Razões para uma dieta vegetariana

 

As principais razões para se adotar uma dieta vegetariana são:


•Anatômicas e fisiológicas
• Higiênicas
• Saúde
• Ecológicas
• Espirituais/religiosas

 

 

a) Anatômicas e fisiológicas

 

Um estudo comparativo da anatomia e fisiologia dos animais considerados essencialmente carnívoros e os herbívoros e frugívoros demonstra as seguintes comparações, no mínimo, interessantes para os mais céticos

Carnívoros


1. têm garras;
2. não tem poros, respiram pela língua;
3. dentes caninos frontais alongados, fortes e pontiagudos para rasgar a carne;
4. ausência de dentes molares posteriores para triturar os alimentos;
5. glândulas salivares pequenas na boca;
6. trato intestinal três vezes o tamanho do corpo.

• Herbívoros/Frugívoros


1. não têm garras;
2. transpiram através de milhares de poros;
3. ausência de dentes caninos frontais pontiagudos;
4. dentes molares posteriores achatados para triturar;
5. glândulas salivares bem desenvolvidas, necessárias à pré-digestão;
6. trato intestinal 10 a 12 vezes o comprimento do corpo.

•Homem


1. não tem garras;
2. transpira através de milhares de poros
3. ausência de dentes caninos frontais pontiagudos;
4. dentes molares posteriores achatados, para triturar;
5. glândulas salivares bem desenvolvidas;
6. trato intestinal 10 a 12 vezes o comprimento do corpo.

Analisando essa comparação, pura e simplesmente, qualquer um é capaz de deduzir o óbvio, ou seja, a concepção original do homem é vegetariana (Herbívora e Frugívora )

 

b) Higiênicas

 

A carne é altamente putrefativa. A decomposição inicia imediatamente após a morte e só é percebida através do olfato quando já se alcançou um estado avançado.
A média de gérmens é de 65.000 por mm3 de fezes, no carnívoro, e de 2.000 por mm3 no vegetariano.
c) Saúde
Do ponto de vista da saúde vamos analisar os seguintes dados científicos:
• a carne é rica em gorduras, favorecendo portanto a ateromatose e o infarto do miocárdio, os cânceres e a obesidade;
•o fato de ser rica em colesterol, faz dela uma causa de cânceres da mama, próstata e útero;
• a rápida impressão de saciedade que sua ingestão provoca pode levar o consumidor a reduzir exageradamente a porção de fibras vegetais em sua ração alimentar, o que é, sobretudo, um fator de constipação, de diabete e de cânceres;
• a carne é um alimento excitante muito forte, equiparável ao álcool, devido às substâncias tóxicas e extrativas dela provenientes. Daí a depressão inicial naqueles que abandonam o uso da carne. Mas esse mesmo poder excitante, faz gastar as reservas vitais, pois seu poder tóxico, é abreviador da vida.


d) Ecológicas


Como dado estatístico, um boi precisa de 3 a 4 ha de terra e produz em média 210 kg de carne, no período de 4 a 5 anos. Nesse mesmo tempo e mesma quantidade de terra, colhe-se no Brasil em média 19 ton. de arroz, ou 8 ton. de feijão ou 34 ton. de milho ou 32 ton. de soja.
A criação de gado devasta imensas áreas verdes naturais. Estudos recentes nos Estados Unidos revelam que o rebanho bovino é responsável por pelo menos 12% do gás metano (que também provoca o efeito estufa) liberado para o meio ambiente.

e) Espirituais/ Religiosas


Apontamos até aqui todas as razões que já seriam motivo suficiente para uma total reflexão das nossas atitudes alimentares, visto que cada vez mais o homem procura um modo mais saudável para viver. Uma vez sabendo uma das causas principais das várias enfermidades que nos assolam por que não adotá-las? Mas as razões espirituais, para todo aquele que busca alguma coisa a mais, que não só a saúde (o que já muito importante), deve ter nas razões espiritais um objetivo de busca para se tornar um(a) vegetariano(a). O vegetarianismo é prática muito antiga, salientado nos fundamentos das grandes religiões. Disse o senhor Buda: “Feliz seria a Terra se todos os seres estivessem unidos pelos laços da benevolência e só se alimentassem de alimentos que não implicassem em derrame de sangue. Os dourados grãos, os reluzentes frutos e as saborosas ervas que nascem para todos bastariam para alimentar e dar fartura ao mundo.” No Mahabharata encontramos: “Pode haver alguém mais cruel e egoísta que aquele que alimenta a carne de seu corpo comendo a carne de animais inocentes?”
A Bíblia contém muitas passagens em defesa do vegetarianismo: “Não queiras destruir a obra de Deus por causa da comida. Todas as coisas na verdade são limpas: mas é mau para o homem, que come com escândalo. Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem coisa em que teu irmão acha tropeço, ou se escandaliza, ou se enfraquece.” (São Paulo aos romanos, 14:20,21 ); "Eis aí vos dei Eu todas as ervas, que dão as suas sementes sobre a terra; e todas as árvores que tem as suas sementes em si mesmas, cada uma segundo sua espécie, para vos servirem de sustento a vós.” (Gênesis, 1:29 ).
Confúcio disse: “Pudesse todo aquele que ouvisse o grito de um animal sendo morto jamais comer de sua carne.”
Para ser mais claro ainda, quando queremos aqui defender a dieta vegetariana, colocamos a compaixão e o amor em primeiro lugar. Como podemos tirar a vida de um ser vivo apenas para satisfazer nossas vontades corporais?
Todos os outros alimentos que foram colocados na terra, podem nos suprir de todas as necessidades físicas que precisamos sem que para isso vidas animais sejam sacrificadas.


Então, parafraseando Mahatma Gandi: “O vegetariano não é um fim em si mesmo, e sim um grande passo na evolução do espírito.”

vege1

Vegetarianismo- Alimentação Saudável